Produtores


Com sede no Rio de Janeiro, a Três Mundos é, antes de tudo, uma produtora de cinema latino-americano que tem como objetivo pensar, a partir do Brasil, em projetos que se insiram na realidade continental. Em 2006, realizou seu primeiro longa-metragem, “Soy Cuba, O Mamute Siberiano”. Selecionado para o festival de Sundance, o filme foi comercializado em mais de 15 países, tornando-se um dos documentários brasileiros mais vendidos internacionalmente.


Criada em 2006, a Primo Filmes é uma produtora de longa metragens, séries de tv e conteúdo de marca que, em pouco tempo de atuação, já realizou obras premiadas e conquistou seu espaço na indústria cinematográfica brasileira. A Primo fez sua estreia em 2006 com o filme “O Cheiro do Ralo”. Um dos maiores sucessos do cinema nacional da atualidade, o longa ganhou diversos prêmios, incluindo o de melhor filme na Mostra Internacional de Cinema em São Paulo e melhor filme estrangeiro no Festival Internacional de Cinema de Beverly Hills, além de ser escolhido para compor a Seleção Oficial do Festival de Sundance 2007. Na mesma época, foi premiada com “Fabricando Tom Zé”, eleito melhor documentário da Mostra Internacional de Cinema em São Paulo 2006 e melhor filme, segundo júri popular no Festival do Rio 2006, e “Elevado 3.5”, vencedor do Festival É Tudo Verdade 2006.

Entre as produções para a TV, estão a série “No Estranho Planeta dos Seres Audiovisuais”, criada por Cao Hamburger e exibida pelo Canal Futura, “Trago Comigo”, de Tata Amaral, exibida na TV Cultura, e o reality show “Temporada de Moda Capricho”, primeira produção nacional da Turner International em parceria com a revista Capricho, da Editora Abril, exibida no Canal Boomeran

Em sua primeira produtora – Oriza Produzioni – Daniele Mazzocca produziu três longas-metragens: “Saimir”, de Francesco Muzi, “Sono Positivo” e “Red like the Sky”, ambos de Cristiano Bortone. Em 2006, já com a Verdeoro, produziu o longa-metragem “Fine Pena Mai”, de Lorenzo Conte e David Barletti.  Atualmente, está envolvida com quatro longas em fase de desenvolvimento, entre eles, “The Lost World Cup”, dirigido por Lorenzo Garzella e Filippo Macelloni. A Verdeoro também está engajada em produções executivas de filmes estrangeiros, como “Birdwatchers”, de Marcho Becchis.

 

 


Depois de participar como produtor executivo em algumas produções nacionais e a par da sua carreira como realizador, Leonel Vieira decide abrir em 2003, em parceria com a Change Partners, S.C.R., S.A. (importante empresa financeira portuguesa) a Stopline Films, com a intenção de produzir filmes e séries de televisão direcionados aos mercados Luso-Brasileiro e Hispânico. Acreditando que o crescimento do Audiovisual Português deva passar pelo triângulo Portugal, Brasil e Espanha, atua em produções verdadeiramente integradas tanto em relação à divisão de investimento como na exploração total dos três mercados. No sentido de diversificar as áreas de produção e fortalecer resultados econômicos, a Stopline Films, numa ação de “co-branding” com Francisco Saalfeld, amplia a sua área de produção com o mercado publicitário.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  • Enter your email address to subscribe to this blog and receive notifications of new posts by email.

    Junte-se a 47 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: